Nenhum icone

Produção de internos do Sistema Penal ganha destaque em Feira do Artesanato

Plantas ornamentais, envasados, tapeçaria em barbante, vassouras ecológicas feitas com garrafas pet. À primeira vista esses itens não tem qualquer relação entre si. Mas quem visita o estande do Programa Articulação e Cidadania no Hangar, onde acontecem a II edição da Feira do Artesanato Paraense (Fesarte) e a 8ª edição a Feira do Artesanato Mundial (FAM), entende não apenas de que forma eles se relacionam como também a importância social que tem para a vida de dezenas de jovens que encontraram na fabricação desses produtos uma oportunidade de capacitação e de reinserção.

A produção de flores e plantas ornamentais exposta ao visitantes da FAM é resultado do projeto Cultivando Flores e Vidas, resultado de uma parceria entre o Programa Articulação e Cidadania, Superintendência do Sistema Penal do Estado (Susipe) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), que capacita a mão de obra carcerária para o mercado de trabalho com técnicas de jardinagem e paisagismo. Atualmente, 12 internos participam das oficinas de capacitação, que além de promoverem a ressocialização dos detentos, também oferecem uma alternativas de renda.

Outra atividade que tem o mesmo princípio são os cursos de reciclagem, que utilizam descartáveis, principalmente garrafas pet, como matéria-prima para a confecção de tapetes, cadeiras e vassouras. Até chegar a etapa final de produção, os internos passam por palestras e cursos de capacitação que os habilita a atender demandas externas, como de empresas parceiras do projeto.

 

Comentários